Técnicas

Técnica – Fair Isle

Você já ouviu falar em Fair Isle? Se não, eu te garanto que você já viu esta técnica por ai. Quer ver?

fairisle01

Não falei que sim!?

Este técnica tem este nome depois que Eduardo VIII, então Príncipe de Gales, vestiu um colete com uma estampa feita com esta técnica. Fair Isle é uma ilha britânica (Shetland Islands) onde se tricotava desta maneira. Utiliza-se este nome para projetos que tenham uma paleta de cores de até 5 tons, porém, não se utiliza mais que dois tons por carreira. Se usada mais cores, dá-se o nome de Intarsia.

Esta técnica demanda estudo e prática. Entender como funciona o diagrama antes de cada projeto é o primeiro passo. Ter em mente, por exemplo, quais carreiras serão feitas em trico, e quais serão em ponto meia é uma preocupação a menos quando trabalhar com esta técnica.

Abaixo o vídeo que me ajudou a aprender. Ele é em inglês, porém dá para ter-se uma ideia de como funciona.

Lembre-se que, se você estiver com agulha circular, sempre irá ler a receita da direita para a esquerda. Se estiver usando agulhas retas começa pra direita para a esquerda, sendo a seguinte lida da esquerda para direita, a próxima, novamente da direita para a esquerda, e assim sucessivamente.

Anúncios
Acabamento, Técnicas

Acabamento

comprei um sweater de tricô na H&M. Lindinho, folgadinho, branco e azul. Achei ele diferente pois parece que o lado certo, é o avesso. O avesso, em si, é todo certinho. Enfim…

Por algum motivo me vi prestando atenção em um fio solto. Só aparecia a beiradinha. Decidi, então, verificar o acabamento da blusa. Ai meu pai! Que decepção. Eu fazia este acabamento quando comecei a tricotar! Não obstante os “nós” a cada troca de cor, a costura, feita em fio azul aparece sem muito esforço, sem precisar esticar a peça! 

Oh H&M, you could have done best!
   
      

Técnicas

Russian Join

Sempre procuro por receitas e novas técnicas em sites gringos, nada contra os brasileiros, muito pelo contrário, queria poder encontrar tudo em português, receitas com as lãs que temos por aqui, ia ser muito melhor. A comunidade tricoteira gringa, no entanto, é enorme, e o que não falta, são as receitas e técnicas de babar.

Foi numa dessas que me deparei com a russian join. Nunca tinha ouvido falar nesta técnica de união de novelos antes, e procurei algo parecido em português e não achei (se alguém souber o nome da técnica em português, por favor, comentem aqui).

A russian join consiste em juntar dois novelos de lã e ter um acabamento mais polido. Admito que não achei ela muito fácil. Achei difícil achar o ponto certo para o acabamento ficar perfeito, sem as pontas dos novelos aparecendo e forte o suficiente para dar segurança ao trabalho.

O resultado que consegui foi esse abaixo. É perfeito, quase não dá para ver que houve junção de dois fios.

IMG_6386IMG_6387

1 – Passe o fio na agulha de tapeçaria, deixe um fio longo . Escolha uma com ponta fina.

2 – Passe a agulha por dentro do fio (por isso a agulha de ponta fina). Não se preocupe se ficar com aparência um pouco embolado.

3 – Puxe a agulha deixando um pequeno loop.

4 – Passe o fio do outro novelo pela agulha. Passe a agulha pelo loop.

5 – Puxe o fio do outro novelo pelo loop por alguns centímetros.

6 – Faça o mesmo processo do item 2.

7 – Puxe as pontinhas dos novelos para que o loop desapareça. Antes de cortas as beiradas dos fios, dê mais uma puxadinha para ter certeza que os fios estão presos.